Os animais sagrados dos ciganos

Os animais sagrados dos ciganos

animas sagrados

O animal tem grande importância na vida do cigano. O mocho, por exemplo, que só enxerga à noite, simboliza entre esse povo a prova da vidência extra-sensorial; assim como o morcego, é muito admirado por eles, pela capacidade de sobreviver.
Os três animais que os ciganos mais procuram observar são os seguintes:
Lobo: entre todos, é este o animal com o qual o cigano mais se identifica. É o seu fiel companheiro na Europa oriental. O cigano admira-lhe a resistência e o senso de honra (clã).
Cães: respeitados pela fidelidade a toda prova e por funcionarem como guardas de caravanas e tendas, dia e noite.
Galos: outro animal que desempenha papel importante no mundo cigano. São encontrados, nos relatos de lendas e ritos mágicos, sinais misteriosos que evocam o ovo, a galinha ou o galo. O galo é considerado como uma espécie de “afastador de assombrações”.

Para os ciganos, o canto do galo expulsa para longe o reino das trevas, e com ele os seus fantasmas; o galo protege a vida.
É com as pés dos galos que eles confeccionam uma terrível arma e um punhal de pontas dobradas para se defenderem.
Por último, uma surpresa: os ciganos abominam os pombos; têm-lhes total desprezo. Os pombos são a própria imagem do crime, do sangue e da loucura. Os casais ocultos sacrificam duas pombas com objetivo de exorcização.
Obs.: existe uma magia cigana, na qual os discípulos passam, para fazer uso do poder destes animais.