Magia Brasileira Catimbó

catimbo

Magia Brasileira tem muita força, mas poucos conhecem esta magia por que acham que ela esta ligada as religiões que aqui estão. Quem conhece o Catimbó e seus encantamentos,sabe que esta ligada a prática de magia baseada no Cristianismo, onde apóia toda a sua doutrina religiosa. O Catimbó não inventa deuses ou os importa da África porque não faz parte das religiões afro-brasileiras. O Catimbó não é afro, não é Umbanda e muito menos Candomblé.

É uma ligação de antigas tradições cristas ligada a Salomão e Mestre Marcos Salles, aonde encontramos um pouco da magia européia e dos encantados da Hungria, povos ciganos entre outros. O Catimbó não é uma religião, mas pode ser classificado como uma seita derivada do catolicismo, por mais imprecisa que possa parecer esta definição. Apesar de católico é uma prática espírita porque trabalha com a incorporação de almas de pessoas já falecidas e é neste sentido que se afasta da religião base.

Ele pode se parecer um pouco com a Umbanda, mas, nem um pouco com o Candomblé.

A semelhança com a Umbanda é devido ao trabalho com entidades incorporadas, mas a incorporação do catimbó fica longe de ser igual da umbanda e muito mais ainda do candomblé. Entretanto, os Mestres do Catimbó possuem uma teatralidade de incorporação muito típica e discreta, e o Catimbó esta longe do trabalho de palco da Umbanda. Outra infeliz coincidência é a presença da entidade Zé Pelintra que no Catimbó é dito como mestre e na Umbanda é muito cultuado como Exu e malandro devendo perceber que Zé pelintra não é Exú e sim um Catimbozeiro Mestre, Como também Mestre Preá não é Baiano ou Exú, esta confusão acaba fazendo com que as pessoas acreditem que umbanda é a mesma coisa que catimbó e não é, e também devemos perceber que não é um candomblé de caboclo como muitas propagam por ai, esta confusão acaba trazendo certa bagunça dentro da seita do catimbó. Catimbó não é Umbanda!

O Catimbó tem uma raiz indígena que foi se perdendo com o tempo. Não há dúvidas  que o Catimbó é xamanista com muitas práticas de pajelança que acabam entrando na jurema e no catimbó como forma de força para divindades que passam pelo tronco da ciência, mas, não é baseado em Caboclos e sim em Mestres, apesar de os Caboclos também terem participação. O Catimbó não é muito diferente ou melhor do que estes cultos que citamos, não podemos dizer inclusive que suas entidades sejam de nível superior, pelo contrário, sob o ponto de vista espírita kardecista são ainda entidades de baixa energia e que guardam muitas referências como a última vida que tiveram em “terra fria”.

Então podemos entender que o catimbó tem sua própria pratica e iniciação dentro da sua seita. Catimbó não é só bebida e fumo, tem muitas coisas que muitos filhos do catimbó não sabem devido ao pouco conviveu com seus mestres ou padrinhos, então devem conhecer a ciência através da consagração e da semente plantada ao corpo de seus filhos que  é onde começa a verdadeira ciência do conhecer e aprender, no sentido espiritual e humano.