Odulogia na Cultura África

odulogia-na-cultura-afro

Todo indivíduo nasceu ligado a um desses 256 Òdú. No momento do nascimento de uma criança, os pais pedem aos babalaôs para indicar a que Òdú a criança está ligada. O Òdú dá a conhecer a identidade profunda de cada pessoa, serve-lhe de guia na vida, revela-lhe o orixá particular, ao qual ela deve eventualmente ser dedicada, além do da família, e dá-lhe outras indicações que a ajudarão a comportar-se com segurança e sucesso na vida. Òrúnnìlà também é consultado em caso de dúvida, quando as pessoas têm uma decisão importante a tomar a respeito de uma viagem, de um casamento, de uma compra ou venda, ou ainda por aquelas que procuram determinar a causa de uma doença.

Dois sistemas permitem aos babalaô encontrar o signo de Ifá que está sendo procurada, chave do problema que lhe apresenta o consulente. Um deles é bastante elaborado, manipulam-se de acordo com certas regras, 16 caroços dos frutos do dendezeiro, os ikin Ifá; o outro é mais simples e consiste em utilizar um opélé Ifá, uma corrente onde estão enfiadas oito metades de caroço de certa fruta. Uma vez determinado o Òdú por meio desses processos, a resposta a ser dada ao consulente é encontrada pelos babalaôs interpretando o contexto das histórias tradicionais correspondentes.

Já no Brasil não temos esta possibilidade então, o que fazemos o que?

No instante em que nascemos e respiramos pela primeira vez, todas as energias do universo material e imaterial ligam-se ao nosso corpo. Forma-se nesse instante, um padrão de Energias Divinas, Astrais e Òdúlogia que é único para cada indivíduo.